#gastromalucos Ponto G: êxtase também na gastronomia

Ponto G gastronomia

Considerando os últimos posts aqui no blog, alguns têm achando que me voltei apenas para locais caros e requintados, esquecendo da culinária simples e mais acessível. Quero ressaltar que não alterei meu enfoque, pois desde o início o intuito foi abordar locais que eu considero realmente merecedores de uma visita – salvo raras exceções de experiências não tão boas, mas que ganharam espaço para servir de alerta e reflexão aos que por aqui passam -, até porque os melhores lugares não são, necessariamente, os mais caros. Mas aquele lanche igual ao de qualquer outro lugar comum, o boteco que serve a mesma batata frita vendida congelada no supermercado e o restaurante que não te toca de alguma maneira, não precisam estar aqui apenas para fazer número/volume. Acredito que caiba ao blog mostrar justamente o diferente e, porque não, o excelente, ao menos em algum ponto, não importando que seja um simples shawarma. E aí entra, também, a questão do preço x valor, já que um jantar de 200 dilmas pode ser muito mais em conta do que um lanche de 20 que te fez ter a impressão de ter sido o dinheiro pior gasto em sua vida. Prezo também em deixar claro nos posts que ter gostado ou não de algum prato pode decorrer de minhas limitações pessoais e não por culpa do restaurante, além de meu gosto não ser o mesmo de todo mundo, podendo alguém discordar totalmente de minhas percepções. Por fim, principalmente gosto de ressaltar que eventuais mimos dos restaurantes não influenciam minha análise do conjunto, pois o intuito não é, nem nunca foi, trocar post por comida.

Ponto G gastronomia

Ao passar a fazer parte dos #gastromalucos, com a ideia de instigar os restaurantes visitados a impressionarem os gourmands, consolidei a impressão de que gastronomia não é uma brincadeira ou algo que qualquer um possa fazer de qualquer jeito. Há de se ter, principalmente, respeito pelo que se faz, desde a escolha dos ingredientes. Ao ver um gastrônomo ser eleito três vezes consecutivas melhor chef do ano pela Veja Comer e Beber Santa Catarina, facilmente se percebe que cozinhar exige tanto profissionalismo quanto um bom médico ou um bom advogado requerem. Chegar nesse ponto te permite, sem nenhum problema com trocadilhos, nomear seu restaurante de Ponto G Gastronomia. Pois o êxtase, pode ter certeza, está garantido. E o espaço aqui blog, muito mais do que merecido.

Ponto G GastronomiaPonto G GastronomiaPonto G Gastronomia

O Chef Vitor Gomes, proprietário do local, além das diversas experiências internacionais, já comandou o Café Riso e atualmente também presta consultoria no La Padá. O Ponto G, contudo, é o seu grande xodó, tanto que situado dentro de sua casa, encravada em uma área verde no bairro Santo Antônio de Lisboa. Apesar de o almoço conferir a vantagem da vista – que o diga o amigo Daniel -, ser recepcionada na varanda, com espumante, e ali sentar para aguardar o couvert, com a gentil oferta de mantas (para espantar o frio) pela Roberta Pedroso – comercial do Restaurante que garante não faltar nada no decorrer da refeição -, não ficou nem um pouco atrás.

Ponto G gastronomia

A casa trabalha apenas com o menu confiance (130 dilmas) – série de amuse bouches, 2 entradas, 2 pratos principais e sobremesa –, que varia conforme os produtos da época. O Chef vai às compras e, após escolher os ingredientes mais frescos, monta o cardápio. Nesse dia o amuse bouches consistia em crostini com queijo fresco, ervas e ovas de lompo; jamón, brie e geléia de pimenta; polpettine e molho de mostarda; pães frescos da La Padá e manteiga de ervas. Como estávamos tomando um delicioso espumante desde que colocamos os pés no local, facilmente permaneceríamos na combinação com o couvert, todos absolutamente deliciosos e cuidadosamente preparados, atraindo até mesmo a atenção do Barack Obama – gato negro do Vitor Gomes que nos fez uma deliciosa companhia boa parte da noite.

Ponto G gastronomia

Tivemos, contudo, que abandonar as mantas e a varanda para encarar o restante do pratos do menu confiance daquele dia. A primeira entrada, sopa cremosa de tomate com mozzarella de búfala e croutons, foi servida em um bule apenas quando já estávamos na mesa, o que garantiu que os croutons continuassem crocantes. A cor era essa mesma, mais amarelada, e, apesar de o tomate geralmente trazer uma leve acidez aos pratos, a sopa estava perfeita.

Ponto G gastronomia

A segunda entrada consistia em ravioli verde de ricota com manteiga queimada e farofa de pinhão. Basta dizer que eu não gosto de ricota, mas adorei o prato, deixando claro que muitas vezes viramos a cara para determinado ingrediente porque nunca o provamos bem preparado.

Ponto G gastronomia

Entrando nos pratos principais, iniciamos com salmão, legumes grelhados e molho curry. Meu salmão estava perfeito, embora duas amigas tenham achado que os seus passaram levemente do ponto, sem, contudo, interferir no sabor. O curry estava bem suave e podia ser comido até pelos mais sensíveis à picância.

Ponto G gastronomia

Encerrando os pratos salgados: risotto milanese com mignon e ervas. Não acho o mignon uma carne muito saborosa, pois destituída de gordura. Mas esta estava ótima, muito bem temperada, e o risotto no ponto certo. Assim como todos os demais pratos, foi-nos oferecido repetir, caso não suficiente o servido. As porções, contudo, eram bastante generosas e assim não permitiram.

Ponto G gastronomia

Estávamos tão satisfeitas que sequer foi possível terminar a sobremesa: frutas e nozes – parfait de nozes e avelã sob compota de maçã, amêndoas tostadas e coulis de morango.

O atendimento durante toda a noite foi impecável, além do charme do sino ser tocado toda vez que um cliente novo chegava. Em cada prato percebíamos o cuidado do Chef em escolher bons ingredientes e da estação. A sensação de estar comendo em casa – uma linda casa, claro – deixou a noite ainda mais agradável. E mesmo o jantar tendo sido acompanhada de muito espumante e vinho, desembolsar pouco menos de 200 dilmas foi menos custoso do que esse simples montante possa transparecer.

Goedert MaisUm pequeno adendo, apenas, para o mimo fornecido pela queridíssima Roka Goedert, no final da noite. Companheira constante nos #gastromalucos, nos presenteou com lindas taças para o brinde do dia dos namorados – no meu caso, uma taça de vinho e uma de cerveja, respeitando o marido especialista em cervejas-, da Goedert Mais. loja especializada em utilidades para empresas e casas. Recomendo porque sei que os produtos possuem preços bastante atrativos, tanto que o Guilherme costuma abastecer o Gastrobirra Homemade por lá. E certeza que você já viu essa marca em alguns itens de restaurantes da grande Florianópolis.

.

Ponto G Gastronomia

Aberto de quarta à sábado, a partir das 19 h (mediante reserva)
Rua Padre Rohr, 1717, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis/SC
Telefone: (48) 8815-0608
Aceita cartões e possui estacionamento
Anúncios

4 thoughts on “#gastromalucos Ponto G: êxtase também na gastronomia

  1. Pingback: Um lar e um Restaurante. Pode? | Minha Casa Container

  2. Pingback: #Gastromalucos Pizza Mia | Não vá se perder por aí

  3. Pingback: #Gastromalucos Bettina Bub – Cozinha Artesanal | Não vá se perder por aí

  4. Pingback: Temakin Pedra Branca: “desculpa qualquer coisa” | Não vá se perder por aí

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s